logo1

Naquele tempo Jesus entrou na barca e seus discípulos o acompanharam. E eis que houve uma grande tempestade no mar, de modo que a barca estava sendo coberta pelas ondas. Jesus, porém, dormia. Os discípulos aproximaram-se e o acordaram, dizendo: "Senhor, salva-nos, pois estamos perecendo!" Jesus respondeu:" Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé"? Então, levantando-se ameaçou os ventos e o mar, e fez-se uma grande calmaria. Os homens ficaram admirados e diziam: "Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?"
(Mt 8,23-27)

REFLEXÃO:

De acordo com a mentalidade da época o mar era o lugar onde se originavam as forças caóticas e os poderes promotores do mal. A fraqueza da fé  se deve ao fato de os discípulos ainda estarem dominados  por estas forças que Jesus vem submeter. A força libertadora que vem de Jesus  transforma as pessoas que passam a fazer o bem. Por isso Ele mesmo disse: "Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância." Em contradição com o judaísmo que transformou a Lei de Deus num conjunto de leis rígidas desviando do verdadeiro sentido para seus interesses até comerciais e políticos, Jesus vem corrigir essa lei e retornar ao seu autêntico sentido, ensinando que não seria difícil fazer a vontade do Pai Eterno. E que não precisavam usar a lei de Deus para deixar a margem uma  multidão de órfãos e viúvas, ou seja: muitos miseráveis sem o conhecimento da lei e dos direitos de participação e de terem uma vida digna como uma minoria detentora do conhecimento e dos bens materiais.

Essa realidade na época de Jesus continuou pela história até os nossos dias quando vemos no mundo inteiro essa desigualdade social onde temos bilhões de seres humanos abaixo da linha de pobreza, sem conquistarem o conhecimento, uma formação universitária de boa qualidade, o trabalho e o sustento necessário para uma família, lugar para morar e garantias para o tratamento da saúde, especialmente na terceira idade. Nem sempre as grandes religiões tem contribuído para a luta pela justiça inspirando-se nas Sagradas Escrituras com interpretação autêntica. O que vemos em algumas religiões é o equívoco de chegar a interpretar que  em nome de Deus deve-se  perseguir e matar. O extremismo religioso tem se evidenciado nos atentados na Europa nos últimos anos e o fundamentalismo religioso está disseminado em todo o mundo, levando ao exagero de práticas autoritárias e desumanas. Quantas pessoas inocentes tem pagado pelo tenebroso fanatismo religioso-político; quantos inocentes têm sido expulsos de seus países por causa de guerras provocadas pelo fundamentalismo e fanatismo religioso!

A Igreja Católica  continua a apontar Jesus Cristo como a meta. Na História sempre foi a Caridade e a Misericórdia que vêm da Santíssima Trindade que fez a Comunidade Cristã atravessar momentos de perseguições e continuar firme como os Apóstolos que foram enviados no primeiro século depois de conhecerem a Pessoa de Jesus Cristo. Será esse conhecimento  e da experiência da conversão que nos levará hoje a continuar a Missão de Evangelizar e sermos Evangelizados pelos Humildes. Somente no testemunho da Copiosa Redenção encontraremos n'Ele o júbilo do anúncio da Boa Nova. É em Jesus Cristo, o Rosto Misericordioso do Pai Eterno que encontraremos a Palavra que nos orientará. É na Cruz Redentora que encontraremos forças para carregar  nossa cruz diária, na certeza da Ressurreição. Assim como a semente que cai e morre para dar frutos. Assim será a vida de todos os filhos e filhas do Pai Eterno que conhecerem a Pessoa de Jesus Cristo e se sentirem enviados(as) para dar continuidade aquilo que Ele ensinou.

Maria, Mãe do Belo Amor, o Perpétuo Socorro nos abençoe em nossa Missão diária  de fazermos a experiência da Copiosa Redenção. Amém!

 

 

 

@Todos os direitos reservados - Matriz de Campinas 2017